Negócios

Adquirente, subadquirente, gateway e bandeira: entenda!

Equipe
Escrito por Equipe
Adquirente, subadquirente, gateway e bandeira: entenda!
Junte-se a mais de 12 mil pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Adquirente, sub, gate… há muitos tipos de players entre você e o seu banco. Você sabe o que significa cada uma dessas palavras? E você sabe o papel de cada um desses players? Nós contamos para você.

No momento em que você coloca o cartão na maquininha, uma mensagem de aguarde aparece. Até ela mostrar “transição aprovada”, muitas operações são realizadas. E essas operações podem ocorrer entre diversas empresas diferentes.

Geralmente, o caminho é: maquininha (adquirente) -> bandeira -> banco e, depois, o caminho inverso. Porém, outros podem aparecer também. O subadquirente e o gateway, por exemplo, cumprem papéis específicos nessa jornada financeira.

Para saber mais sobre o que é cada conceito e o que faz cada um, continue conosco. Nós também mostraremos quais são as principais empresas de alguns desses setores.

Qualquer dúvida que você tiver, mande para nós nos comentários. Ficaremos contentes em responder!

Tenha uma boa leitura. 🙂

Hoje você irá aprender:

O que é um adquirente?

adquirente-o-que-e
Adquirente é na prática o agente operador (operadora de cartões)

O adquirente, como mostramos ali em cima, é, geralmente, a empresa da maquininha. O seu papel, no entanto, vai além de oferecer um sistema operacional. Pelo contrário, ele faz muito mais do que isso.

Quando você utiliza uma maquininha de cartão de crédito e de débito, ela gera uma mensagem criptografada. Essa mensagem será enviada para a bandeira. A bandeira, por sua vez, enviará para o banco, que retornará para a bandeira. Assim, o caminho inverso inteiro ocorre.

O papel da adquirente é ser uma ponte entre você e a bandeira. Assim, o sistema como um todo funciona de maneira mais ágil. Além disso, a liquidez do dinheiro é feita de maneira mais rápida também.

A adquirente verifica com a bandeira se o seu método de pagamento está correto com o seu contrato. E trata, também, de fazer a sua cobrança e colocar o dinheiro na conta do vendedor. Esse dinheiro, no entanto, não é transferido na hora. Cada adquirente demora um tempo específico para realizar a transferência.

O que é uma bandeira de cartão?

adquirente-o-que-e-uma-bandeira
Veja como funciona as bandeiras de cartões de crédito e débito.

A bandeira de cartão serve como uma ponte, assim como a adquirente. Porém, ela faz algumas coisas a mais. As empresas de bandeira de cartão, como Mastercard, Visa, e American Express, ajudam na segurança das operações e transações.

Elas trabalham mantendo o mercado de cartão de crédito regulado. Para isso, elas estabelecem e fiscalizam as regras a serem aplicadas a cada caso. Seja por causa da situação, da bandeira, do adquirente e, principalmente, do cliente.  

Agora, quais são os tipos de regras que elas estabelecem e fiscalizam? É simples. Essas regras se referem à quantidade de parcelas máxima em que você pode colocar o valor do pagamento, por exemplo. 

Elas verificam, também, a quantidade de lugares em que o seu cartão é aceito. Afinal de contas, nem todos os cartões funcionam para ambos mercado nacional e internacional.

Agora, enquanto ponte, ela se comunica com o banco. Com essa comunicação, ela descobre se o cliente que está passando o cartão tem saldo ou limite de crédito suficiente. Se houver, ela avisa à adquirente de que a transação foi aprovada.

O que é uma subadquirente?

Os subadquirentes são os responsáveis por dar acesso a adquirentes em comércios em que eles não chegam. Só para dar um exemplo, podemos falar das lojas de e-commerce. Porém, não para por aí. As subadquirentes ainda cumprem algumas outras funções.

As subadquirentes podem ser emitidas pelas próprias lojas. É o caso de quando as lojas precisam de algum sistema antifraude para se proteger de chargeback e outros similares. Não que esse sistema realmente impeça fraudes, mas ele ajuda a evitar.

Caso ocorra uma fraude, a sub credenciadora garante o pagamento da compra. E essa capacidade de proteger o lojista contra fraudes que traz vantagens desse sistema contra o sistema de gateway. Mesmo assim, muitas pessoas preferem o sistema de gateway do que de sub credenciadora.

Isso porque as sub credenciadoras cobram taxas de 6% a 7% dos valores faturados. Ainda, elas os mudam para débito ou boleto. 

Porém, se você optar pela segurança, as opções mais famosas de sub credenciadoras são a Moip, a Pagseguro, a Bicash, a Mercado pago, a F2B, a PayPal, a Payu e a Akatus.

O que é um gateway de pagamento?

adquirente-gateway-de-pagamento
Um gateway de pagamento é um serviço destinado a lojas virtuais, SaaS e empresas de grande porte.

É muito comum as pessoas acharem que gateways e subadquirentes são a mesma coisa, porém são muito diferentes. Aliás, são sistemas completamente não-relacionados. A confusão acontece porque ambos servem de ponte entre a loja e a adquirente, e nisso são semelhantes, mas suas funções são ímpares.

Os gateways tem como sua principal função agilizar as transações financeiras das lojas virtuais. Ou seja, ela reduz o tempo, e até mesmo os custos, dos desenvolvimentos e das operações dessas compras. 

Isso porque elas são plataformas que conseguem fazer uma interligação direta com os adquirentes, usando grupos diversos de APIs. Assim, há a comunicação da loja virtual com o gateway.

Ou seja, os gateways funcionam como terminais de cartão. Eles colhem e codificam os dados que o cliente inseriu e depois envia todas essas informações para a credenciadora. Porém, o que os gateways trazem não para por aí.

Com os gateways, é possível ter permissão para o uso de cartões internacionais, com transparência total. Toda a compra é realizada na mesma página comum da loja virtual, sem redirecionamento para páginas que possam parecer suspeitas.

O que é um PSP?

A sigla PSP se refere a Payment Service Provider. Ou, em português, Provedor de Serviços de Pagamento. E a sua função é bem semelhante à do gateway e da subadquirente.

A diferença é que o PSP reúne os benefícios do gateway e da subadquirente para uma versão simplificada. Ou seja, se você precisa apenas de uma parte dos benefícios de cada um desses outros serviços, o PSP ajuda.

Ou seja, o PSP traz integração para todos os métodos de pagamento: menos relações contratuais, checkout transparente e mais. Ele também traz prevenção de fraude, reconciliação e ainda pagamento antecipado.

A desvantagem do Provedor de Serviços de Pagamento, no entanto, mora nas taxas pagas. As suas taxas de conversão são mais altas.

Adquirente, subadquirente, bandeira e gateway: entenda a diferença

O adquirente e a bandeira são personagens que sempre estarão presentes nessa história. Eles estarão tanto em lojas físicas quanto em lojas virtuais. Porém, a subadquirente, o gateway e o psp estarão presentes apenas no e-commerce, e são auto excludentes.

Isso porque o subadquirente, o gateway e o psp possuem funções similares. O adquirente é uma ponte entre você e a bandeira, e a bandeira é uma ponte para o banco. O subadquirente, o gateway e o psp são, no e-commerce, uma ponte entre você e a adquirente.

Todos esse players cumprem função de trazer segurança e acesso à sua conta e suas compras. O adquirente serve para liquidar a transação. A bandeira regula as regras da compra, isso é, limite máximo de parcelas, por exemplo. A bandeira também verifica se você pode usar cartão internacionalmente.

O subadquirente serve para fornecer maior segurança às suas compras de e-commerce. O gateway traz uma maior transparência, apesar de não ter sistema antifraude, e geralmente é quem permite o cartão internacional. O PSP vem como um serviço que junta os benefícios dos outros dois por um valor maior.

Adquirentes e bandeiras

As adquirentes e as bandeiras trabalham sempre juntas. Isso porque as adquirentes são as responsáveis por trazer acesso às bandeiras. Bem, empresas como a Visa, a Mastercard e a American Express não oferecem a própria maquininha de cartão de crédito.

Nesse momento é que você precisa contar com empresas como a Acqio. Elas são as facilitadoras no mercado financeiro. Elas dão acesso ao serviço de cartão de crédito para os estabelecimentos, oferecerem esse método de pagamento, aumentando suas vendas.

Fique atento, no entanto, às adquirentes presentes no mercado. Nem todas as maquininhas possuem a mesma seriedade e qualidade de serviço. Para se ter uma ideia, hoje mais de quatro milhões de máquinas são operadas no Brasil. Todas elas são gerenciadas por empresas sérias? Quais as chances?

O que faz um adquirente?

adquirente-o-que-faz
O adquirente é a maquininha de cartão.

O adquirente é o responsável por ligar você à bandeira e ao banco do seu cartão. Ele providencia que as transações sejam feitas com segurança e estabilidade para todas as partes. Essas partes se referem ao estabelecimento, ao cliente, à bandeira e ao banco.

Da maquininha ao banco e do banco à maquininha:

Certo, você passa seu cartão. Nesse momento, a adquirente, a maquininha, é acessada. Ela pega a informação de que você está fazendo uma compra de tanto valor, em tantas parcelas. Essa informação será criptografada e passada para a bandeira.

A bandeira verá se você pode parcelar essa quantidade de vezes. E se você está usando o cartão internacionalmente e se o serviço é aceito, entre outras situações. Dando ok, ela agora pergunta ao banco.

O banco dirá informações sobre seu crédito, seu saldo, etc. Ou seja, se você pode fazer aquela compra conforme a sua situação financeira. E retornará a informação para a bandeira. A bandeira, por sua vez, retorna a informação para adquirente. Agora aparece na maquininha “transação aprovada”.

O dinheiro será descontado da sua conta. E irá para a conta da adquirente. Alguns dias, conforme a adquirente, o dinheiro será depositado na conta do estabelecimento. A Acqio, por exemplo, deposita em por volta de 4 ou 5 dias.

Adquirentes internacionais

As principais adquirentes internacionais presentes no Brasil são a First Data, Global Payment, a Adyen e a Worldpay. Elas investem no mercado há muito tempo, com algumas sendo mais recentes no mercado brasileiro. 

Todavia, é importante não se impressionar muito. Se a empresa é de fora, a tendência é pensar que ela tem mais poder de investimento. Mas enquanto na verdade pode ser só uma estratégia, ao investir no exterior existem outras questões envolvidas. Uma empresa tão afastada está disposta a dar o mesmo suporte?

Adquirentes nacionais

O Brasil está pleno de investidores em adquirência. É um mercado que está bombando e concorrência é ótimo para clientes. Afinal de contas, as melhores opções se aprimoram, certo?

Bem, errado não está. Mas no tanto de empresas competindo por você, como se escolhe a melhor adquirente? Nós respondemos! A Viver de Maquininha tem esse nome por esse motivo. Por saber como funciona esse mercado e orientar você sobre a melhor opção.

A Acqio é uma maquininha que oferece dual chip, wifi, dados móveis próprios e 5 anos de garantia. Diferente de outras maquininhas, ela é comprada, não alugada. Ou seja, fica com você. O melhor, no entanto, é o suporte.

Por investir na expansão de suas franquias, sempre tem um representante Acqio perto de você. A ABF, a Associação Brasileira de Franquias, por exemplo, já reconheceu o tamanho da Acqio. Em seu último ranking, a Acqio era a 15ª maior franquia no país. E a maior do seu ramo.

Potencial do mercado de adquirência

Muito dinheiro passa todos os dias pelas maquininhas de cartão de crédito e de débito. Isso porque as pessoas estão cada vez mais usando cartão e deixando de usar dinheiro físico. E isso explica o alto investimento na área.

Porém, pegar uma fatia desse mercado pode ser mais simples e seguro do que se pensa. E você não precisa lançar a sua própria maquininha. Você pode, por exemplo, ser um franqueado dessas empresas. Dessa forma, você tem uma chance de empreender nesse mercado, com a segurança de uma marca já estabelecida no mercado.

As suas opções são variadas. A Stone, por exemplo, pede R$ 50 mil de investimento inicial. É um valor considerável, afinal é um mercado com bastante faturamento e lucro. Porém, você pode ter todo esse faturamento e lucro com um investimento inicial ainda menor.

A Acqio Franquias, por exemplo, que explicamos melhor neste artigo, permite que você invista com apenas R$ 6 mil. É um valor irrisório perto das concorrentes e você recebe lucros em duas ocasiões.

Na primeira, quando vende a máquina. Na segunda, uma parte de cada transação feita na maquininha que você vendeu para o cliente. 

“Ah, mas eu não sei vender.”

Tudo bem. Porque a Acqio ainda tem a Universidade Acqio. Ela ensina técnicas de venda e tudo que você precisa saber sobre o mercado de pagamentos eletrônicos.

Se ainda estiver com alguma dúvida, fale com um consultor Acqio!

Conclusão

adquirente-conclusao
Agora você já sobre tudo sobre adquirente!

Se você ainda estiver com dúvidas quanto à diferença entre esses players, não hesite em perguntar nos comentários. Nós sabemos como é complicado todos esses termos que são novos para muita gente.

A Viver de Maquininha está aqui para isso, desmistificar o mercado das fintechs. E ajudar você a empreender nesse ramo!

Sempre vamos auxiliar com os melhores nomes  da indústria financeira para você saber onde está pisando.

Obrigado pela leitura!

Você também pode gostar de nossos outros artigos:

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Junte-se a mais de 12 mil pessoas